quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Para Refletir...

          
               Cultive a paz e a fé em Deus. Liberte a mente de todos os pensamentos perturbadores e preencha-a com amor e alegria. Perceba a superioridade da cura mental sobre a cura física. Expulse os maus hábitos, que tornam a vida infeliz.Afirmação:               Viverei com perfeita fé no poder do Bem Onipresente para trazer a mim o que eu precisar, no momento certo.Afirmações Científicas de Cura, de Paramahansa Yogananda




Morro do Delta - Serra da Meruoca- CE

Instituto do Ceará para todos

Instituto histrico, Geográfico e Antropológico do Ceará , Fortaleza, CE_3113
O Instituto do Ceará (Histórico, Geográfico e Antropológico), fundado em 1887 e ocupando o palacete Jeremias Arruda, no Centro de Fortaleza, ainda passa despercebido. Espremido entre lojas e um estacionamento, quem trabalha ali perto nem enxerga a escada que leva ao andar superior, as paredes amarelas, as grades do portão, a placa com o nome da instituição. O Instituto, uma sociedade civil sem fins lucrativos e pautada pela ciência e pela cultura, parece continuar lugar, de certa maneira, impenetrável às pessoas comuns. Leia mais aqui!

Theatro José de Alencar


Um dos maiores símbolos da cultura do Estado, o Theatro José de Alencar recebe todos os meses atividades artísticas de qualidade, estando presente na vida cultural dos cearenses e sendo destino certo de visita para os que passam pela Capital cearense. 
É um teatro-monumento com estrutura grandiosa e que traz em seu nome uma homenagem concreta a um dos maiores escritores do Ceará, José de Alencar, autor de livros como "Iracema" e "A Viuvinha".

Lançada em 1896, a pedra fundamental do Theatro José de Alencar estava localizada na Praça Marquês do Herval, hoje denominada de Praça José de Alencar. Porém, apenas em 1904 foi autorizado a construção do teatro e, em 1908, as obra tiveram início, sendo as peças metálicas do Theatro José de Alencar importadas de Glasgow, da Escócia.

No dia 17 de junho de 1910, o Theatro José de Alencar foi inaugurado com a presença da banda sinfônica do Batalhão de Segurança, em clima de muita festa, com show pirotécnico e apresentações artísticas.

Estrutura

Com uma arquitetura bem diversificada, o teatro apresenta a sala de espetáculo com estilo art noveau, estilo decorativo que ficou bastante conhecido entre o anos de 1890 e 1910.


O Theatro possui vários espaços para serem aproveitados. Na sala de espetáculos principal, há capacidade para receber cerca de 800 pessoas, que ficam distribuídas em três andares diferentes, além do solo.

Nos Jardins de Burle Marx, localizado ao lado do teatro, há um palco a céu aberto com capacidade para mais de mil pessoas. O Theatro José de Alencar ainda possui um anexo, com o Teatro Morro do Ouro, com capacidade de 90 lugares.

Para quem deseja conhecer um pouco mais da beleza do Theato José de Alencar, pode participar de uma visita guiada ou assistir aos espetáculos oferecidos.  Saiba mais AQUI

Antigo, mas não velho!

Jóias da Memória


        Entra na cabine, puxa uma porta, puxa outra. A manivela é quem comanda o destino. Resistindo às caixas metalizadas de proteção automática e painéis inteligentes, Fortaleza ainda sobe andares em elevadores do passado. Um deles continua firme depois de um século.
        Muitos já se foram para a modernidade. Alguns, porém, com a história que carregam, continuam em segurança. “Antigamente, as coisas eram feitas para durar a vida inteira”, comenta Neudson Braga, professor aposentado de Arquitetura da Universidade Federal do Ceará.
         A Reitoria da UFC abriga um dos mais antigos elevadores residenciais da Capital, segundo Neudson, desde a construção da chácara que havia ali, em 1918. “Não tenho informação de outra residência nessa época que tenha um elevador, talvez esse tenha sido o primeiro”, sugere.
        Todo mês, para garantir a longevidade, ele é vistoriado, mas ninguém lembra a última vez em que teve de ser consertado. Nele, só cabem três pessoas. O forte não é a velocidade, mas a memória da cidade que já foi antiga.
         Instalado em 1898 com cabine de jacarandá e detalhes de bronze, o elevador da Associação Comercial do Ceará (ACC) é um dos mais antigos do Estado, segundo o presidente João Porto Guimarães. “Já sugeriram trocar por outro, mas nós não quisemos. É uma peça antiga, mas não é velha, e eu enxergo como uma joia”.
        O maquinário, de acordo com Guimarães, fica longe dos problemas, apesar de passar de 100 anos. Neste tempo, pouco foi trocado, só por segurança. “Ele nunca deu problema. Ainda é mais bonito, melhor e mais seguro que os outros”.
        Os elevadores que contam a história um dia foram sinônimo do futuro. “No final do século XIX e início do século XX, a cidade macaqueava as modas estrangeiras, e o elevador não deixava de ser uma delas”, explica Romeu Duarte, professor de Arquitetura da UFC. 
        Cerca de 50 anos antes, o equipamento fôra criado nos Estados Unidos e se massificou, especialmente em Chicago. As empresas americanas Otis e Atlas eram as principais fornecedoras de elevadores para o País. De lá, vinham para ser instalados nos poucos prédios de Fortaleza, ainda predominantes no Centro. O equipamento da Associação Comercial foi colocado pela Otis, enquanto a Atlas instalou o primeiro por aqui só em 1941, onde hoje é a Superintendência da Polícia Civil, no Centro.
        “Tem gente que tem medo de andar nele porque é antigo”, conta Silas Coelho, ascensorista no prédio da Federação das Associações do Comércio, Indústria, Serviços e Agropecuária (Facic). Em 34 anos operando os dois elevadores, não viu nenhum deles parado por mais que uma semana.

         E olha que estão por lá desde que “o prédio é prédio”, na década de 1930, segundo Francisco Barreto, presidente da Facic. Um funciona pela manhã, outro à tarde, para que continuem em atividade sem desgastar as peças. “Eles fazem parte da história. Não podemos deixar isso morrer”.

Por Mariana Freire, para o Jornal O POVO

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

O voto no Brasil

A primeira eleição no Brasil


A primeira eleição aconteceu no Brasil em 1532, na Vila de São Vicente e foi convocada por Martim Afonso de Souza, tendo como objetivo a escolha do Conselho Administrativo da vila. 


Antes da Proclamação da República no Brasil podiam votar somente os homens ricos, proprietários de terras ou que tinham altos rendimentos (voto censitário). 

A primeira eleição direta para presidente da República aconteceu em 1894. Prudente de Morais chegou ao poder com cerca de 270 mil votos que representavam quase 2% da população brasileira da época.

A ampliação do direito de voto a um número cada vez maior de brasileiros aconteceu ao longo do século 20. O voto feminino data de 1932 e foi exercido pela primeira vez em 1935. Em 1988, este direito foi estendido aos jovens com mais de 16 anos.

A publicidade em destaque foi publicada no O POVO em 26 de março de 1936 e fala sobre a obrigatoriedade de voto para os homens.

Para Refletir...

           
             Ó Perfume de todos os corações e todas as rosas, não importa quantos dias de escaldante tristeza cruzem os umbrais de minha vida para me perseguir e me pôr à prova. Por meio de Tua bênção, possam eles lembrar-me dos erros que me têm mantido longe de Ti.

Paramahansa Yogananda, Meditações Metafísicas