segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

10 curiosidades sobre Maria Antonieta.


ūüĎĎ 1. Maria Ant√≥nia Josefa Joana de Habsburgo-Lorena, ou simplesmente Maria Antonieta, nasceu em 2 de novembro de 1755. Era a 15¬™ filha de Maria Teresa da √Āustria e de Francisco I do Sacro Imp√©rio Romano-Germ√Ęnico, os imperadores da √Āustria.

ūüĎĎ 2. Ela se casou com Luis XVI de Bourbon, herdeiro do trono da Fran√ßa, em 1770. Tinha apenas 14 anos, e tornou-se rainha cinco anos depois.

ūüĎĎ 3. Luis XVI de Bourbon demorou sete anos para "consumar" o casamento com Maria Antonieta. O fato causou boatos de que a rainha seria est√©ril. A primeira filha do casal, Maria Teresa Carlota, nasceu em 1778.

ūüĎĎ 4. A rainha gostava de atuar em √≥peras.

ūüĎĎ 5. No in√≠cio, Maria Antonieta era muito querida pela popula√ß√£o francesa, que via nela uma esperan√ßa de melhora na situa√ß√£o de mis√©ria em que o Rei Luis XV mergulhou o pa√≠s. Mas, depois de esc√Ęndalos sobre sua esterilidade e as gastan√ßas da corte, ela passou a ser apontada como traidora da Fran√ßa.

ūüĎĎ 6. Em 1781, Maria Antonieta mudou-se para um pal√°cio constru√≠do para ela, que ficava bem pr√≥ximo do Pal√°cio de Versalhes. O "Petit Trianon" foi um presente de seu marido, o Rei.

ūüĎĎ 7. A frase "se o povo n√£o tem p√£o, que coma brioches" √© atribu√≠da a Maria Antonieta. Mas historiadores acreditam que a rainha nunca disse essa frase.

ūüĎĎ 8. Depois de assinar um contrato que favorecia seu irm√£o, ent√£o imperador da √Āustria, Maria Antonieta passou a ser chamada de "A Austr√≠aca" pela corte francesa.

ūüĎĎ 9. H√° boatos de que a rainha teve um amante sueco, o Conde Fersen.

ūüĎĎ 10. Maria Antonieta foi presa, junto com Luis XVI, em 1792. No ano seguinte, foi julgada e condenada √† guilhotina por trai√ß√£o. Foi a √ļltima rainha da Fran√ßa. No dia 16 de outubro de 1793, √†s 12:15, vestindo roupas simples, Maria Antonieta foi guilhotinada. Seu corpo foi jogado em uma vala comum, no cemit√©rio de La Madeleine (fechado em 1794).

Fonte> Efem√©rides Reais - O Grupo

Outra coisa que eu queria acrescentar a esta lista é que ela foi tia-avó da nossa princesa Leopoldina, a primeira Imperatriz que nosso país teve.

Gostaria de relembrar que não devemos julgá-la, já que cada um age de acordo com o seu tempo e de acordo com sua realidade. E também porque ela foi deposta pelo Napoleão Bonaparte, que deu à sua esposa Josefina muito mais luxo e opulência do que a rainha Maria Antonieta possuía.

Quando estudamos hist√≥ria temos que ter a consci√™ncia de que nem sempre sabemos de tudo o que ocorreu, de toda a real situa√ß√£o vivida e que julgar e criticar s√£o formas de exercer um pr√©-conceito consentido na nossa atual √©poca. 

Vamos ler e aprender! O mundo est√° cheio de livros repletos de conhecimento e curiosidades.

Beijinhos!!!!



Há, uma foto da Maria Antonieta. Não lembro de qual fonte eu tirei, mas é uma foto de um retrato conhecido dela, não é autoral. Que cabelo show hein!!


s√°bado, 13 de janeiro de 2018

Resenha - O Jogo da Imitação

Uma amiga minha veio ontem aqui em casa e assistimos ao filme O Jogo da Imita√ß√£o. Eu nem imaginava do que se tratava a hist√≥ria e me surpreendi. √Č um filme sens√≠vel, baseado em fatos reais, talvez biogr√°fico, pois narra a hist√≥ria do ingl√™s Alan Turing. Ele foi considerado o matem√°tico respons√°vel por criar a primeira m√°quina inteligente, se √© que posso dizer assim, e a partir desse projeto, depois de estudos e pesquisas, houve a evolu√ß√£o para o computador que temos hoje.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a comunicação era feita basicamente via rádio e era muito fácil interceptar as mensagens que eram trocadas. Portanto, toda a comunicação deveria ser criptografada. Muitas táticas eram pensadas para que os alemães pudessem se comunicar em códigos, e criaram então a máquina enigma, que criptografava vários códigos e mudava o modo como criptografava todos os dias à meia noite. Alan Turing e outros vários matemáticos e linguistas foram contratados pra descodificar as mensagens e saber quais seriam os planos dos alemães, dessa forma, combatendo o inimigo de acordo com seus passos.

A criação dessa máquina foi segredo de Estado até cinquenta anos depois da guerra e a esta máquina é atribuída a vitória dos aliados sobre a Alemanha.

Turing, além de possuir algum espectro de autismo, é homossexual. Naquela epoca, ser homossexual era crime perante a lei e punido severamente com castração química. Eu nunca imaginei que essa punição absurda já tivesse existido e o pior foi saber que a Rainha perdoou o crime dos que foram condenados, como se eles realmentr tivessem errado! E sim, eu pesquisei, realmente isso é verdade.

Este é Turing. Achei o ator que fez o longa incrivelmente parecido.

Não é daqueles filmes que nos dão alegria no final, mas é comovente e nos mostra como a sociedade ainda tem que muito o que mudar. Acho que primeiro temos que reformar a nós mesmos e a partir daí podemos mudar todo o resto, pois sociedade nenhuma muda sem que mudemos primeiro.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Resenha- A Terceira Moça

Mais um livro concluído neste recesso de fim de ano/férias. Êeeeh! Gosto muito das férias para poder colocar minhas leituras em dia.

Agatha Christie, neste livro, conta um estranho caso, que no in√≠cio, para o detetive Hercule Poirot e para a escritora Ariadne Oliver n√£o faz nenhum sentido! 

Em um dia comum, uma jovem, bem moderna para a √©poca, ao estilo transviado, chega repentinamente √† casa do detetive Poirot e revela " acho que cometi um crime". Mas n√£o consegue explicar muito bem o que aconteceu e deixa muitas d√ļvidas a serem esclarecidas. Para um crime assim, n√£o se pode ter muita d√ļvida, " Quem ser√° que ela matou, ou pensa que matou?" (... ) "a n√£o ser que tenha atropelado algu√©m e seguido em frente, pode ter colocado algum rem√©dio errado para algu√©m, pode ser que ela seja enfermeira e tenha errado a anestesia no meio de uma opera√ß√£o...". Fiquei encucada com a situa√ß√£o e esperava que cada descoberta me desse uma pista do que aconteceu, mas s√≥ no final √© que tudo se encaixa. Sabe aquele livro que tem v√°rios fatos que parecem n√£o importar muito e s√≥ no final voc√™ entende o que aconteceu? Ent√£o, este √© o caso deste livro.

Recomendo a leitura deste  livro. Muito instigante, faz voc√™ refletir e imaginar bastante. Por conta dele pesquisei sobre as outras obras de Agatha Christie e decidi que vou ler mais um livro dela, mas n√£o decidi qual rs.

Voc√™s j√° leram este livro ou algum outro livro de Agatha Christe? 


Beijinhos.

Esta é a capa da versão do livro que li.




segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Resenha- Passarinha

Passarinha √© um livro muito sens√≠vel. √Č um livro em primeira pessoa e por conta disso, conseguiu tornar os sentimentos da personagem mais palp√°vel, mais pr√≥ximo.A personagem principal chama-se Caitlin, que tem 10 anos e √© portadora da s√≠ndrome de asperger. 


Ela passa por situa√ß√Ķes que s√£o dif√≠ceis bem complicadas para lidar: sua m√£e faleceu anos antes e seu irm√£o foi v√≠tima de um bruto massacre. O livro consegue transmitir como ela se sente em meio a todos esses desafios, aos desafios de lidar com a escola, com o sofrimento do seu pai, com seu pr√≥prio sofrimento e com o desafio de ficar sem a companhia do seu irm√£o mais velho, Devon. Devon era quem mais a compreendia e tentava explicar com simplicidade as dificuldades b√°sicas que ela tinha dificuldade de entender. Ele era um grande companheiro para ela.

O livro tenta passar as dificuldades, desafios e preconceitos que as pessoas com síndrome de Asperger têm de enfrentar. O pai de Caitlhin não a compreende bem, assim como professores e colegas. Acho que ler este livro faz você mudar em relação a diversas coisas, como a ter mais compreensão em relação ao próximo, não somente em relação a pessoas com deficiência.

Mergulhe na história de Passarinha, de Katherin Erskin. Mergulhe na história e se emocione!




s√°bado, 6 de janeiro de 2018

O que você faz com as ofensas que recebe?

Recebemos ofensas quase todos os dias, de forma gratuita, sendo muitas vezes difícil de nos livrarmos disso. Essas ofensas vem geralmente da família, chefes, professores e até estranhos. Espero que isso não seja recorrente para você, mas para algumas pessoas,infelizmente é uma realidade difícil de lidar. Aqui eu explico o que eu faço quando isso acontece.

Somos todos diferentes. N√£o s√≥ na apar√™ncia f√≠sica, personalidade, prefer√™ncias mas tamb√©m em rela√ß√£o ao bom senso. As vezes, quem te ofende nem lembra depois e chega at√© a achar que o que falou n√£o foi nada demais, o que √© ofensa para uma pessoa, n√£o √© para a outra. 

E quantas pessoas n√≥s ofendemos sem querer!! Devemos medir o tom de voz e a forma de como vamos dizer o que queremos, pois uma simples conversa pode acabar em desastre. Evite ser o ofensor. 

A vida n√£o √© perfeita e nem √© um mar de rosas, como todos j√° sabem. N√£o podemos criar um mundo em que todas as circunst√Ęncias e todos os seres sejam e ajam de acordo com os nossos desejos. A vida √© complicada para todo mundo, de diferentes maneiras. H√° muitas pedras e espinhos em nosso caminho e, √† medida em que andamos por a√≠, certamente iremos bater nossos dedos em pontas afiadas, nos machucando. 

E como nos proteger das pedras e espinhos que encontraremos no caminho?

“Responder √† ofensa com ofensa √© como lavar a alma com lama! O sil√™ncio √© um dos argumentos mais dif√≠ceis de se rebater.” Dalai Lama

Silencie. Caso alguém te ofenda, silencie com amorosidade, não morrendo de raiva, que fique bem claro. Assim, dá tempo de refletir se a pessoa tem razão e em casos positivo ou negativo, continuar em silêncio é ainda melhor. Seja amoroso. Todos temos defeitos e pode ser esta a oportunidade de termos consciência de algum deles. Muitas vezes, no calor do momento, acabamos revidando de uma forma inconsequente que pode nos trazer terríveis problemas posteriores.

Revidar, xingar de volta, agredir n√£o adianta e faz voc√™ ser um pouco pior do que aquele que est√° proferindo o que voc√™ n√£o quer ouvir. √Č natural que fiquemos paralisados, tristes ou irados ap√≥s algu√©m nos ofender, direta ou indiretamente. Mas d√™ um tempo para que o seu c√©rebro processe racionalmente suas emo√ß√Ķes.

E o mais importante √©: perdoe. Por maior que seja a dificuldade, devemos perdoar sempre, como Jesus nos disse,  e n√£o perdoar √© pior, pois amargura e raiva faz muito mal, podendo causar at√© males f√≠sicos. Perdoar liberta e nos deixa mais leve.

Tudo isso n√£o significa ter passividade e aceitar tudo. Em alguns casos √© preciso tomar medidas judiciais por dano moral, cal√ļnia, difama√ß√£o. Mas no dia a dia, nas rela√ß√Ķes com conhecidos, familiares ou amigos, temos muitas chances de reagir com mais amorosidade ao sofrimento do outro. Afinal, ningu√©m ofenderia, xingaria ou gritaria se n√£o estivesse sofrendo. Tentar entender as dores que o ofensor esteja sentindo √© uma forma de lembrar que aquela ofensa mais pertence a quem te fez, do que a voc√™ mesmo. √Č aquela velha m√°xima: quando falam de mim, falam mais de si mesmo do que de mim.


Uma √ļltima dica: diga a si mesmo "o baile segue" tenha uma atitude de pouco se importar com o que te disseram. E tente esquecer o que passou.


Beijinhossss

Já coloquei a foto dessa flor, mas ela é tão linda que merecer ser vista novamente rs.



quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Você tem empatia?

“A capacidade de dar aten√ß√£o a algu√©m que sofre √© uma coisa muito rara e dif√≠cil; √© quase um milagre; √© um milagre. Quase todos que pensam ter essa capacidade n√£o a possuem.”

Simone Weil.

Empatia é ter a capacidade de sentir o que os outros estão sentindo, antes mesmo que eles nos digam em palavras, apenas com a percepção.

Ao nos relacionar com os outros, a conexão humana ocorre somente quando conseguimos nos livrar de todas as ideias preconcebidas e julgamentos a respeito deles. Por isso a presença que a empatia requer não é fácil de manter.

Iniciar uma conversa com empatia com certeza nos fará ser melhores ouvintes. Sabe aquela pessoa que você procura quando precisa conversar? Há grandes chances de ela ser uma pessoa empática.

Em vez de empatia, tendemos a ter uma forte premência de dar conselhos ou encorajamento e de explicar nossa própria posição ou sentimento. A empatia, por outro lado, requer que se concentre plenamente a atenção na mensagem da outra pessoa.

Ter empatia não é aconselhar, corrigir e repreender. As pessoas gostam de ser ouvidas, de serem compreendidas sem serem julgadas por preconceitos e ideias de consenso geral que por vezes tomamos como nossas, sendo na maioria das vezes, reflexo de uma convenção social.

Permanecendo em empatia, permitimos que nossos interlocutores atinjam níveis mais profundos de si mesmos. Uma vez, conversei com um colega que havia feito uma disiciplina na psicologia e ele entendeu que os psicólogos são bem sucedidos em suas piscoterapias exatamente porque conseguem fazer o paciente falar mais do que ele falaria normalmente, atingindo uma percepção maior do que ele tinha antes de si mesmo ou de alguma situação que aconteceu.

√Č importante lembrar que reconhecer o sentimento, necessidade ou pedido do outro, n√£o significa que voc√™ estar√° concordando com tudo que ele disse. Voc√™ pode manter suas opini√Ķes – muitas vezes contr√°rias – respeitando e permitindo o outro de sentir seus sentimentos.

E também alerto que não podemos nos transferir para a outra pessoa, os problemas pelos quais ela passe, embora seja uma pessoa que seja próximo a você, não pode tirar o seu sono e te deixar com emocionalmente abalado. Sei que é difícil, principalmente se lidamos com pessoas que amamos, mas lembre que temos que ser fortes para ajudar o próximo.

Beijos de luz e um excelente ano novo, próspero financeiramente e espiritualmente. Beijosssss

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Resenha - A Costureira de Dachau

Olá pessoal! Este é o primeiro post de 2018! Êeeeeeh

Terminei este livro ontem mesmo e fiquei com vontade de compartilhar mais esta leitura com voc√™s. √Č um livro que li em apenas 3 dias porque fiquei muito envolvida com a personagem, com suas perdas e vit√≥rias (ainda que poucas) e muita luta. A leitura n√£o √© leve, muitos momentos s√£o bem ruins e n√£o √© daqueles livros que te fazem sorrir no final.

Este livro fala de Ada Vaughn, uma londrina que √© uma das costureiras de um ateli√™ de moda e costura que atende mulheres elegantes, talvez um ateli√™ de alta costura. Ambiciosa e talentosa, aos 18 anos seu sonho era ser uma famosa modista. Por√©m, em um belo dia, conheceu um nobre chamado Stanilau  e a partir da√≠, sua vida muda drasticamente.

Em meio a jantares e passeios, ele a tratava como uma verdadeira princesa.  Lugares caros, comidas refinadas e muito carinho. Ela, em sua ingenuidade (e sim, essa ingenuidade me incomodou muito) fazia sonhos e planos com ele.

Com a segunda guerra a se iniciar, ele a convida para ir a Paris, um verdadeiro sonho ... Ada j√° imaginava quais tecidos comprar e onde visitar! Ela mal imaginava que, a partir  dessa viagem, sua vida mudaria inteira e completamente. 

O livro te faz se envolver com Ada; o enredo √© muito instigante. Para quem, assim como eu, gosta de filmes e livros que retratam esse per√≠odo da Segunda Guerra Mundial, √© uma boa op√ß√£o, pois apesar de ser uma obra de fic√ß√£o, os lugares, os personagens e os acontecimentos s√£o fatos baseados na realidade. 



domingo, 31 de dezembro de 2017

O que eu quero para vocês em 2018.

"Não foi o martelo que deixou perfeitas estas pedras, mas a água, com sua doçura, sua dança e sua canção.
Onde a dureza por vezes destrói, a suavidade consegue esculpir."

Rabindranath Tagore


Suavidade e do√ßura s√£o cruciais para podermos encarar a nossa vida. 
Levar a vida com leveza, do√ßura e suavidade √© um lema que devemos levar para sempre. 
Porque ter mau humor? Porque responder com aspereza? Porque ser rude? Porque se importar tanto com detalhes in√ļteis?

Que em 2018 possamos ver a vida de forma mais leve, sem levar tanto à sério as mágoas e as ofensas. Sem levar tanto a sério os fracassos e as perdas.

Mas levando a s√©rio a si mesmo, para se reformar e se educar para ser feliz e ver o que h√° de bom por a√≠. 



Com amor, do√ßura e suavidade, 

Erika.